Esportes

Procuradoria da Espanha acusa técnico Mourinho de fraude fiscal

Jose-Mourinho

A Procuradoria Provincial de Madri anunciou nesta terça-feira que apresentou uma denúncia contra o ex-treinador do Real Madrid José Mario Mourinho dos Santos por haver supostamente fraudado o fisco em 3,3 milhões de euros (3,7 milhões de dólares).

O atual técnico do Manchester United é acusado de não declarar a renda com os direitos de imagem em suas declarações para o fisco nos exercícios de 2011 e 2012 com o "objetivo de obter benefícios ilícitos".

Não foi possível contactar imediatamente Mourinho nem seus assessores legais.

A Procuradoria explicou que, segundo dados do fisco, antes de 17 de setembro de 2004 o denunciado assinou um contrato segundo o qual cedia seus direitos de imagem à Koper Services S.A., uma sociedade sediada nas Ilhas Virgens Britânicas.

Em 17 de setembro de 2004 ele firmou um novo contrato de cessão de seus direitos de imagem entre a Koper Services S.A. e a irlandesa Multisports & Image Management Limited (MIM, a mesma utilizada por Cristiano Ronaldo), e quatro anos mais tarde, em 22 de dezembro de 2008, a sociedade irlandesa assinou com a Polaris Sports Limited, que tinha o mesmo domicílio social, um acordo de representação para que buscasse e negociasse contratos comerciais.

"Todas estas estruturas societárias foram utilizadas pelo denunciado com o objetivo de tornar fisicamente nebulosos os benefícios provenientes de seus direitos de imagem", disse a Procuradoria.

Depois de deixar o cargo de treinador do Chelsea (Inglaterra), Mourinho assinou um contrato de trabalho com o Real Madrid em 31 de março de 2010 e transferiu sua residência a Madri, motivo pelo qual adquiriu a condição de contribuinte na Espanha.

Mas a Procuradoria argumenta que, "visando obter um beneficio ilícito", apresentou suas declarações de impostos dos anos-base de 2011 e 2012 no prazo, mas sem declarar as rendas procedentes da cessão de seus direitos de imagem.

A denúncia contra Mourinho vem pouco depois de o atacante e astro do Real Madrid, Cristiano Ronaldo, ser acusado também de fraude fiscal por meio de uma estrutura societária parcialmente coincidente com a de Mourinho.

Tanto Ronaldo como Mourinho são representados pela Gestifute, a agência de Jorge Méndes, que também controla a sociedade de imagens MIM.

Não foi possível obter comentários do empresário português de imediato.

Em maio, o Tribunal Supremo ratificou uma pena contra Lionel Messi, do Barcelona, por três delitos de fraude fiscal, condenando o atacante argentino a 21 meses de prisão (que não irá cumprir por não ter antecedentes criminais) e a pouco mais de dois milhões de euros de multa.

Da Reuters (Por Carlos Ruano)

Add a comment

Brasil derrota Colômbia em amistoso de homenagem à Chapecoense, em jogo com público pequeno

brasil-x-colombia-amistoso

O Brasil venceu a Colômbia por 1 x 0 em amistoso beneficente às famílias das vítimas do desastre aéreo da Chapecoense, mas o jogo de quarta-feira à noite foi marcado pelo grande número de cadeiras vazias no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Somente 18.695 pessoas compareceram ao chamado Engenhão, que tem capacidade para 45 mil pessoas, para assistir ao "Jogo da Amizade", disputado menos de dois meses depois da tragédia aérea que matou 71 pessoas na Colômbia.

A partida representou mais uma noite emotiva para jogadores e torcedores. Somente seis das 77 pessoas a bordo do voo da LaMia que levava a Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana em Medellín sobreviveram ao acidente em 28 de novembro.

Quatro sobreviventes eram brasileiros, sendo três jogadores e um radialista, e todos os quatro foram apresentados aos torcedores antes da partida.

Um deles, o goleiro Jackson Follmann, estava em cadeira de rodas após ter parte de sua perna amputada depois do acidente. Os outros dois, Neto e Alan Ruschel, voltaram a treinar e esperam jogar novamente neste ano.

O meia brasileiro Diego, que já passou por clubes internacionais como Atlético de Madri e Juventus, disse que foi uma honra participar da partida.

"Isto foi mais que um jogo. Tive a chance de estar com Follmann e Neto, eles são heróis", disse. "Eles são heróis e tudo que pudermos fazer para ajudá-los, iremos".

Os jogadores sobreviventes da Chape e o comentarista Rafael Henzel receberam placas comemorativas antes da partida e ficaram com os times no momento dos hinos nacionais.

Henzel comentou parte do jogo para a TV Globo.

A partida foi disputada somente com jogadores que atuam no Brasil e Colômbia, sem estrelas como Neymar, do Barcelona, e James Rodríguez, do Real Madrid.

O atacante Dudu, do Palmeiras, marcou o único gol da partida aos 2 minutos do segundo tempo ao cabecear a bola de perto depois de um cruzamento de Fagner que sobrou para ele.

O resultado representou a sétima vitória consecutiva do Brasil sob comando do técnico Tite.

 

Fonte: Reuters

Add a comment

Meia Shelvey, da Inglaterra, recebe suspensão de cinco jogos por ofensa racial

Jonjo ShelveyO meio-campista Jonjo Shelvey, do Newcastle United e com passagem pela seleção inglesa, recebeu uma suspensão de cinco jogos e uma multa de 100 mil libras por uma ofensa racial contra um adversário, informou a Associação de Futebol da Inglaterra (FA) nesta terça-feira.

Shelvey, de 24 anos, foi acusado de usar palavras abusivas ou ofensivas contra o meio-campista marroquino Romain Saiss, do Wolverhampton Wanderers, durante uma partida da segunda divisão do Campeonato Inglês em setembro.

"Ademais foi alegado que esta violação foi uma 'Violação com Agravante', já que incluiu referências à origem étnica e/ou raça e/ou nacionalidade", disse a FA.

Shelvey, que negou a acusação em uma audiência independente, será obrigado a frequentar um curso de orientação da entidade.

O jogador inglês, que também atuou no Liverpool e no Swansea City, tem sete dias para recorrer da decisão.

O Newcastle lidera a tabela da segunda divisão por um ponto depois de 22 jogos.

Fonte: Reuters

Add a comment

CBF confirma Brasil x Colômbia no Engenhão com renda para vítimas de acidente da Chapecoense

CBF confirma Brasil x Colômbia no Engenhão com renda para vítimas de acidente da ChapecoenseA Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou nesta segunda-feira a disputa do amistoso entre Brasil e Colômbia no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, no próximo mês, com renda destinada a familiares dos jogadores e membros da comissão técnica que morreram no acidente com o avião da Chapecoense no mês passado.

O jogo será realizado em 25 de janeiro, e o estádio carioca, conhecido como Engenhão, foi escolhido como palco do amistoso por oferecer melhores condições e exigir uma estrutura de operação menor e mais eficiente, de acordo com o diretor de competições da CBF, Manoel Flores.

O técnico Tite convocará apenas jogadores que atuam em times brasileiros para formar a seleção que enfrentará os colombianos, uma vez que a data escolhida para o amistoso não faz parte do calendário internacional da Fifa para jogos de seleção, informou a CBF em nota no site oficial da confederação.

"Claro que é um partida com um caráter especial, mas vamos aproveitar para observar mais de perto alguns jogadores que não tiveram oportunidade em outras convocações. Será um bom laboratório para tirarmos algumas dúvidas", disse Tite na nota.

O avião com a equipe da Chapecoense caiu perto de Medellín em 28 de novembro, matando 71 pessoas, durante viagem para a Colômbia, onde o time catarinense enfrentaria o Atlético Nacional na partida de ida da final da Copa Sul-Americana.

Seis pessoas sobreviveram, sendo três jogadores, um jornalista e dois tripulantes.

Fonte: Reuters

Add a comment

Chile conquista Copa América-2015 ao vencer Argentina por 4-1 nos pênaltis

Chile alcançou seu primeiro título da Copa América em 36 participações ao se impor por 4-1 nos pênaltis (0-0 em 120 minutos) neste sábado em Santiago a Argentina do astro Lionel Messi, na final da edição 2015 que acolheu e premiou a que é considerada a melhor geração da 'La Roja'.

chile-vence-copa-ameria-2015Matías Fernández, Arturo Vidal, Charles Aránguiz e o 'Niño Maravilla' Alexis Sánchez marcaram desde o ponto penal, e Messi anotou o único para a alviceleste.

Gonzalo Higuaín errou seu disparo ao lançar a bola por cima do gol, enquanto que a cobrança de Ever Vanega foi defendido por Claudio Bravo.

Texto e foto: AFP

Edição: conmebol.com

Add a comment

São Paulo sofre gol nos acréscimos e perde para o Kashima por 3 a 2

sao-paulo-futebol-clubeKashima Antlers (JAP) e São Paulo se enfrentaram nesta manhã de quarta-feira (horário de Brasília), pela final da Copa Suruga Bank. A partida, realizada no estádio Kashima Soccer Stadium, na cidade de Kashima/JAP, terminou com a vitória da equipe japonesa por 3 a 2, que conquista a Copa Suruga 2013.

Embalado pela vitória sobre o Benfica (POR), o time paulista, campeão da Sul-Americana, entrou em campo bem organizado. Aos 17 minutos, Ademílson recebe excelente assistência de Ganso que o coloca na cara do goleiro Sogahata, mas o atacante tricolor finaliza em cima do arqueiro japonês.

Aos 25, o primeiro gol do Kashima. Em velocidade, Shibasaki avança pela direita, serve Ogasawara que passa para Osaka na área. O atleta tira Rogério Ceni da jogada e arremata para o gol vazio.

Osako é lançado por Juninho aos 39 e bate no canto direito da meta são-paulina, ampliando a contagem para o Kashima e fechando o placar na primeira etapa.

Com Lucas Evangelista no lugar de Maicon, o São Paulo voltou melhor para o segundo tempo e diminuiu com Ganso, aos 13 minutos. O meia recebe na intermediária, engana a zaga e finaliza no canto direito da meta japonesa.

O Tricolor não dá tréguas à defesa do Kashima e segue no ataque. Aos 30, Aloísio é servido por Ganso na área e empata o confronto para festa da torcida são-paulina.

A partida seguiu aberta, com chances para as duas equipes, mas o Kashima foi mais feliz e fez o gol do título aos 47 minutos, através do atleta Nishi. O japonês bate da entrada da área, a bola sofre desvio de Osaka e “mata” o goleiro Rogério Ceni.

O São Paulo agora volta suas atenções para o jogo do próximo domingo contra a Lusa, no Canindé, pelo Brasileirão 2013.

Ficha Técnica

Kashima Antlers/JAP 3 x 2 São Paulo

Kashima Antlers/JAP: Sogahata; Nishi, Maeno (Nakata), Ogasawara e Aoki (Iwamasa); Endo (Nakamura), Juninho (Iwamasa), Shibasaki e Yamamura; Shoma Doi (Nozawa) e Osako.
Técnico: Toninho Cerezo.

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Lucas Silva (Roni), Edson Silva e Reinaldo; Wellington, Rodrigo Caio, Maicon (Lucas Evangelista) e Ganso; Ademilson e Aloísio.
Técnico: Paulo Autuori.

Local: Kashima Soccer Stadium – Kashima/JAP.

Árbitro: Abdul Bashir (SIN). Público: 26.202 torcedores.

Gols: Kashima Antlers: Osako, 25’ 1T e 39’ 1T; Nishi, 47’ 2T. São Paulo: Ganso, 13’ 2T; Aloísio, 30’ 2T..

CA: Kashima: Oqasawara e Iwamasa.

Add a comment

São Paulo volta a vencer, ganha do Benfica e fatura a Copa Eusébio

Na disputa da Copa Eusébio, em homenagem a um dos maiores jogadores da seleção portuguesa, o São Paulo enfrentou o Benfica (POR) e conseguiu a vitória e o título deste torneio amistoso pelo placar de 2 a 0, encerrando uma série de 14 jogos sem vencer por parte do time do Morumbi.

A primeira chance de gol da partida foi do Benfica, com Lima, que invadiu a área e foi para o chute, mas atingindo a trave de Rogério Ceni.

O São Paulo tentava criar chances de gol, mas era o Benfica a se arriscar mais no ataque. Aos 12, Markovic e Juricic tiveram chances de fazer o gol, ambas sem sucesso.

O time português tocava a bola e buscava segurar o ímpeto são-paulino em campo, explorando os espaços deixados pela zaga do time do Morumbi.

Aos 41, Markovic conseguiu a bola e bateu forte para a defesa de Rogério Ceni. Depois, Matic deu um toque na bola para completar cruzamento e nova defesa do goleiro do São Paulo.

O São Paulo conseguiu sua primeira boa chance de marcar o gol aos 43, no cruzamento de Douglas para Aloísio, que cabeceou para a defesa de Paulo Lopes.

Aloísio, aos seis minutos do segundo tempo, colocou o São Paulo na frente do placar, após receber passe de Jadson e colocar a bola no fundo das redes.

Aos 17, Rafael Tolói marcou o segundo do time do Morumbi, após cruzamento que Rodrigo Caio ajeitou.

Rodrigo Caio por pouco não fez o terceiro do São Paulo, em cobrança de escanteio cabeceada na trave de Paulo Lopes. O time do Morumbi voltou para etapa final pressionando mais e criando chances de gol.

O Benfica buscava o ataque e Maxi Pereira fez o cruzamento para Rodrigo tentar o cabeceio, mas Rogério Ceni fez a defesa. O São Paulo controlava o jogo e barrava as tentativas do time português.

Nos acréscimos, Rodrigo tentou novamente e Rogério Ceni, mais uma vez, impediu o gol adversário.

O São Paulo agora segue para o Japão para a disputa do Torneio Suruga.

Ficha Técnica

Benfica (POR) 0 x 2 São Paulo

Local: Estádio da Luz, Lisboa (POR)

Árbitro: Duarte Gomes (POR)

Benfica (POR): Paulo Lopes; Maxi Pereira (André Almeida), Garay, Luisão e Cortez; Matic, Enzo Pérez (Amorim), Markovic (Ola John) e Gaitán (Sulejmani); Juricic (Rodrigo) e Lima

Técnico: Jorge Jesus

São Paulo: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Tolói, Edson Silva e Reinaldo; Rodrigo Caio, Wellington, Fabrício (Maicon) e Jadson (Lucas Evangelista); Osvaldo (Silvinho) e Aloísio (Ademílson)

Técnico: Paulo Autuori

Gols: Aloísio (SPO) aos 6, Rafael Tolói (SPO) aos 17 do segundo tempo

CA: Matic, Luisão e Maxi Pereira (BEN)

Add a comment

Com Neymar em campo, Barcelona vence Santos por 8 a 0

Com Neymar em campo, o Barcelona enfrentou o Santos nesta sexta-feira (2), pelo Troféu Joan Gamper, em jogo que terminou com vitória do time catalão no Camp Nou por 8 a 0.

A partida começou com Neymar no banco de reservas. O Barcelona foi ao ataque, tendo boa chance de abrir o placar com Alexis Sánchez, que mandou a bola com perigo contra a meta de Aranha.

Na jogada seguinte, o time catalão abriu a contagem. Pedro tentou colocar a bola na área, mas ela desviou em Rafael Galhardo e ficou com Messi, que fintou Aranha e colocou a bola no fundo das redes.

O Barcelona pressionava e se mantinha no campo de ataque. Aos 11, Daniel Alves partiu pela direita e cruzou. Léo tentou o corte, mas acabou mandando contra a própria meta.

Com a vantagem, o time da casa tocava a bola e impedia qualquer avanço do Santos ao campo de ataque. O controle da partida era todo do time catalão.

Aos 21, Alexis Sánchez fez o terceiro do Barcelona, recebendo passe de Messi dentro da área em jogada de velocidade que a defesa santista não conseguiu impedir.

O Santos tentou aumentar a marcação sobre Barcelona, mas viu o time anfitrião fazer o quarto na partida, aos 29, com Pedro, após cruzamento de Jordi Alba.

A primeira finalização santista ocorreu aos 32 minutos, no chute de longe de Rafael Galhardo, que foi pela linha de fundo. O Santos tentava atacar, mas pouco conseguia diante da pressão imposta pelo Barcelona.

No segundo tempo, Neymar entrou em campo com a camisa do Barcelona. O time da casa seguia no ataque e o Santos se postava na defensiva.

Aos sete minutos, o quinto do Barcelona. Alexis Sánchez venceu a marcação e fez o passe para Fábregas bater forte no canto direito da meta santista.

Neymar tentou a jogada ofensiva aos 12 minutos e fez o passe na área, mas a defesa santista conseguiu o corte. Depois, Messi foi lançado e tentou encobrir o goleiro santista, mas sem sucesso.

Aos 22 minutos, o sexto gol catalão. Neymar recebeu na área e deu um toque para Fábregas chegar e mandar de primeira para o fundo das redes de Vladimir.

Fábregas teve a chance de anotar o sétimo do Barcelona em cobrança de falta que acertou o travessão do Santos. A pressão do time espanhol seguia total, com Neymar tentando fazer jogadas ofensivas e sendo fortemente marcado.

Adriano marcou o sétimo do Barcelona aos 29, dominando a bola pela esquerda até a entrada da área e batendo forte para acertar o gol de Vladimir.

O Santos arriscou em cobrança de falta, Cícero subiu de cabeça e Pinto conseguiu a defesa. O Barcelona tocava a bola e imprimia pressão.

Com o domínio da partida, o Barcelona fez o oitavo aos 37 minutos, com Dongou, que recebeu de Fábregas e mandou para o fundo das redes santistas.

Aos 43, Dongou fez a jogada para Neymar arriscar o chute e a bola passar muito perto do gol.

Ficha Técnica

Barcelona (ESP) 8 x 0 Santos

Local: Camp Nou, Barcelona (ESP)

Árbitro: Estrada Fernandez (ESP)

Barcelona: Valdés (Pinto); Daniel Alves (Montoya), Piqué (Bartra), Mascherano (Bagnack) e Jordi Alba (Adriano); Xavi (Fábregas), Busquets (Song) e Iniesta (Sergio Roberto); Alexis Sánchez (Dani Nieto), Messi (Dongou) e Pedro (Neymar)

Técnico: Gerardo Martino

Santos: Aranha (Vladimir); Rafael Galhardo (Cicinho), Edu Dracena, Durval (Gustavo Henrique) e Léo (Mena); Arouca (Alan Santos), Leandrinho (Léo Cittadini), Cícero e Montillo (Pedro Castro); Neílton (Giva (Vitor Andrade)) e Thiago Ribeiro (Willian José (Gabriel).

Técnico: Claudinei Oliveira.

Gols: Messi (BAR) aos 7, Léo (BAR, contra) aos 11, Alexis Sánchez (BAR) aos 21, Pedro (BAR) aos 29 do primeiro tempo, Fábregas (BAR) aos 7, 22, Adriano (BAR) aos 29, Dongou (BAR) aos 37 do segundo tempo.

CA: Adriano (BAR).

Add a comment

Com os resultados deste domingo, Brasil enfrentará o Uruguai na próxima fase

selecao-brasileira-de-futebol--www.parnaibaweb.com.brJá classificados, Brasil e Itália se enfrentaram neste sábado (22), na Fonte Nova, para decidir o primeiro colocado do Grupo A da Copa das Confederações 2013 e os brasileiros fecharam a primeira fase com 100% de aproveitamento ao vencerem o jogo por 4 a 2.

O Brasil termina a primeira fase com nove pontos ganhos, na primeira posição da chave e vai enfrentar o Uruguai na fase semifinal. Os italianos ficam com seis, em segundo lugar e irão jogar contra a Espanha na próxima fase.

O Brasil começou no ataque e teve duas chances para fazer o gol, mas em ambas, a defesa italiana conseguiu o corte. A Itália tentava atacar e sofria com a forte marcação brasileira.

Aos 16 minutos, Balotelli recebeu bola cruzada da esquerda e bateu de primeira, com a bola indo pela linha de fundo, sem assustar Júlio César.

Daniel Alves cobrou falta aos 21 e a defesa italiana quase se complicou no lance. Dois minutos depois, Fred deixou Neymar de cara com o gol, mas o camisa 10 bateu cruzado pela linha de fundo.

A Itália teve de fazer uma alteração ainda na etapa inicial devido a lesão, com a saída de Montolivo, substituído por Giaccherini. Pouco depois, mais uma substituição italiana, com Maggio entrando no lugar de Abate.

Aos 32, foi a vez do Brasil fazer substituição por lesão, com a entrada de Dante no lugar de David Luiz. Os brasileiros buscavam espaço para criar jogadas, com a Itália conseguindo bloquear as investidas dos donos da casa.

O Brasil abriu o placar aos 46 minutos com Dante, que aproveitou rebote de cobrança de falta para colocar a bola no fundo das redes de Buffon.

No começo do segundo tempo, Oscar tabelou com Fred e foi para o chute rasteiro, com Buffon ficando com a bola. A Itália respondeu no chute de Candreva, sem sucesso.

Giaccherini, aos cinco minutos, empatou o jogo em Salvador. Balotelli deixou a bola para o jogador italiano chegar e bater forte sem chance de defesa para Júlio César.

Neymar, aos nove minutos, fez o segundo gol brasileiro, ao bater falta e mandar a bola no ângulo esquerdo de Buffon.

Fred, aos 21, fez o terceiro gol brasileiro ao receber grande lançamento, ganhar da zaga e arrematar com sucesso.

Aos 26 minutos, Chiellini fez o segundo gol italiano, aproveitando cobrança de escanteio e batendo cruzado no canto direito do goleiro Júlio César.

Maggio tentou completar cruzamento na pequena área aos 31 minutos e acertou o travessão de Júlio César. A Itália ficava com a bola e pressionava atrás do empate.

Apesar da pressão italiana, o Brasil chegou ao quarto gol com Fred, que aproveitou rebote de Buffon no chute de Marcelo e fechar a vitória brasileira na Fonte Nova.

Brasil e Itália esperam agora pelos seus adversários nas semifinais, que serão decididos neste domingo (23), com a rodada final do Grupo B.

Ficha técnica

Brasil 4 x 2 Itália

Local: Fonte Nova, Salvador (BA)

Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)

Itália: Buffon; Abate (Maggio), Chiellini, Bonucci e De Sciglio; Aquilani, Marchisio, Montolivo (Giaccherini), Diamanti (El Sharaawy) e Candreva; Balotelli.

Técnico: Cesare Prandelli.

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, David Luiz (Dante), Thiago Silva e Marcelo; Luiz Gustavo, Hernanes, Oscar; Hulk (Fernando), Fred e Neymar (Bernard).

Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols: Dante (BRA) aos 45 do primeiro tempo, Giaccherini (ITA) aos 5, Neymar aos 9, Fred (BRA) aos 21, Chiellini (ITA) aos 26, Fred (BRA) aos 42 do segundo tempo.

CA: David Luiz, Luiz Gustavo e Neymar (BRA); Marchisio (ITA).

Add a comment

Brasil vence México por 2 a 0 em Fortaleza e está na segunda fase

selecao-brasileira-de-futebol--www.parnaibaweb.com.brNo Castelão, Brasil e México se enfrentaram pela segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações 2013, com a vitória brasileira pelo placar de 2 a 0.

O Brasil vai a seis pontos e, com a vitória da Itália sobre o Japão, está classificado para a próxima fase. Já o México, sem pontuar nas duas rodadas disputadas, está fora da competição.

Com oito minutos de partida, Neymar colocou o Brasil na frente do placar ao aproveitar cruzamento da direita de Daniel Alves e bater de voleio para o fundo das redes de Corona.

Daniel Alves, aos 13 minutos, bateu de longe mas Corona pulou para salvar o México. O time mexicano respondeu com Mier, que aproveitou confusão na área para o chute cruzado, mas sem sucesso.

Fred ganhou de dois jogadores do México e bateu forte, mas longe do gol. O Brasil tentava atacar, mas logo a equipe mexicana equilibrou a partida.

Nos minutos finais do primeiro tempo, Giovani dos Santos teve a chance de fazer o gol de empate em cobrança de falta, mas acertou o lado de fora da rede de Júlio César.

Aos nove do segundo tempo, Hulk e Neymar fizeram tabela, com Hulk sendo lançado de frente para o gol, mas finalizou pela linha de fundo. Depois, foi a vez do próprio Neymar arriscar, porém sem sucesso.

O Brasil buscava o ataque, tentando criar situações ofensivas em cima dos mexicanos. Guardado, aos 14, cruzou para Chicharito, mas David Luiz fez o corte.

Aos 20, Paulinho passou pela defesa mexicana e abriu na esquerda para Neymar chegar para o chute e mandar a bola para nova defesa do goleiro mexicano.

O Brasil tocou a bola nos minutos finais, enquanto o México tentava ficar com a posse de bola. Nos acréscimos, Jô fez o gol da vitória brasileira, após receber de Neymar.

Próximos jogos de Brasil e México pela 3ª e última rodada do Grupo A da Copa das Confederações 2013

Brasil x Itália - 22/jun - 16h00 - Estádio da Fonte Nova

Japão x México - 22/jun - 16h00 - Estádio do Mineirão

Ficha técnica:

Brasil 2 x 0 México

Local: Castelão, Fortaleza (CE);

Árbitro: Howard Webb (ENG);

Assistentes: Michael Mullarkey e Darren Kann (ambos da Inglaterra)

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar (Hernanes); Hulk, Fred (Jô) e Neymar.

Técnico: Luiz Felipe Scolari.

México: Corona; Flores (Herrera), Francisco Rodríguez, Héctor Moreno e Salcido; Torrado (Jiménez), Torres (Barrera), Guardado e Mier; Giovani dos Santos e Chicharito Hernández

Técnico: José Manuel de la Torre.

Gol: Neymar (BRA) aos 8 do primeiro tempo, Jô (BRA) aos 47 do segundo tempo.

CA: Thiago Silva e Daniel Alves (BRA); Herrera e Guardado (MEX).

Add a comment

Brasil vence França por 3 a 0 em Porto Alegre (RS)

selecao-brasileira-de-futebol--www.parnaibaweb.com.brNo último teste antes da Copa das Confederações, o Brasil jogou contra a França neste domingo (9), em Porto Alegre, venceu por 3 a 0 e encerrou a série sem vitórias sobre adversários do chamado "primeiro escalão" do futebol mundial.

No começo da partida, Lloris quase se atrapalhou ao tentar sair com a bola dominada. Neymar conseguiu dominar, mas acabou travado pelo goleiro francês na hora do chute.

O Brasil tentava atacar, mas a França respondia na mesma moeda, deixando a partida bastante equilibrada. Aos 14 minutos, Valbuena cobrou falta e Guilavoguei apareceu para o cabeceio, que levou perigo para Júlio César.

Hulk, aos 19, foi para o arremate, mas sem direção. O Brasil tocava a bola, buscando espaço e enfrentando a marcação francesa.

Aos 31, Oscar conseguiu se livrar de Mathieu e lançou para Neymar tentar o chute, mas a bola foi pela linha de fundo, ao lado da trave.

O Brasil, na primeira jogada do segundo tempo, foi ao ataque em jogada iniciada por Oscar. A resposta francesa veio no chute de fora da área de Cabaye, que bateu forte e quase fez o gol. Payet também teve sua chance aos quatro minutos, sem sucesso.

Aos oito minutos, Oscar abriu o placar para o Brasil, aproveitando troca de passes para receber na área e bater sem chance de defesa para Lloris.

Oscar teve a oportunidade de fazer o segundo dois minutos depois, ao dar um toque na bola em cruzamento rasteiro da direita, mas para fora.

Aos 14 minutos, em contra-ataque francês, a bola foi cruzada na área e David Luiz tentou o corte, mas quase fez gol contra.

Fred aproveitou erro da zaga francesa ao tentar afastar a bola pela direita e arrematou para a defesa de Lloris. No rebote, o goleiro francês atirou-se nos pés de Neymar para defender.

O Brasil tocava a bola e administrava o resultado, chegando ao segundo gol aos 39 minutos, com Hernanes, em chute de fora da área.

Nos acréscimos, Marcelo foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Lucas cobrou, deslocou o goleiro e marcou o terceiro gol brasileiro.

O Brasil fará sua estreia na Copa das Confederações no próximo dia 15, em Brasília (DF) contra o Japão.

Ficha Técnica

Brasil 3 x 0 França

Local: Arena Grêmio, Porto Alegre (RS);

Árbitro: Victor Hugo Carrillo;
Assistentes: Jonny Bossio Moncada e Cesar Escano Zambrano;

Brasil: Julio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo (Hernanes), Paulinho (Paulinho), Oscar (Fernando); Hulk (Lucas), Neymar (Bernard) e Fred (Jô);
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

França: Lloris; Debouchy, Sakho, Rami e Mathieu; Cabaye (Gomis), Matuidi (Grenier), Payet, Valbuena (Lacazette) e Guilavoguei; Benzema (Giroud)
Técnico: Didier Deschamps.

Gol: Oscar (BRA) aos 8, Hernanes (BRA) aos 39, Lucas (BRA) aos 47 (pen) do segundo tempo.

CA: David Luiz (BRA).

Add a comment

No Pacaembu lotado, Corinthians só empata com o Boca (ARG) e está desclassificado

corinthians-futebol-clubO Corinthians recebeu o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira (15) pela partida de volta das oitavas de final da Taça Libertadores da América, e acabou saindo da competição com o empate por 1 a 1 no Pacaembu, depois da derrota no jogo de ida em Buenos Aires.

A partida começou com as duas equipes buscando o gol. A primeira chance de perigo foi do Boca Juniors, aos seis minutos, mas Riquelme não conseguiu finalizar bem. Aos dez minutos, Riquelme bateu falta e a bola passou perto do gol de Cássio. A primeira chance corintiana aconteceu aos 16, com Danilo, que bateu cruzado com perigo.

Riquelme, aos 24, abriu o placar para o Boca Juniors. Após cobrança de falta, ele partiu com a bola pela direita e tentou o lançamento, mas a bola acabou indo em direção ao gol e Cássio não conseguiu a defesa.

O Corinthians foi atrás da reação, mas foi o Boca a atacar de novo e Blandi recebeu lançamento de Riquelme e arrematou para a defesa de Cássio. A pressão do time argentino se intensificou, impedindo o Corinthians de criar jogadas de ataque.

No segundo tempo, Alexandre Pato e Edenílson entraram no Corinthians e Danilo aproveitou sobra de cobrança de falta para arriscar o chute e Orión fazer a defesa. Depois, Paulo André arriscou de cabeça após escanteio e a bola passou perto do gol. A equipe da casa tocava a bola e tentava chegar ao ataque.

Paulinho, aos seis minutos, empatou a partida. Em cruzamento da direita, o volante subiu mais que a defesa para mandar a bola para o fundo das redes de Orión.

Guerrero chegou com perigo e o goleiro do Boca saiu para evitar a finalização do atacante corintiano. Aos nove minutos, Blandi recebeu lançamento e mandou chute que Cássio defendeu com dificuldade.

Aos 13 minutos, o Boca teve a chance de fazer o segundo gol, com Riquelme novamente tentando de longe, a bola batendo no goleiro e Blandi colocando a bola por cima do gol.

Em outra chance corintiana, Ralf levantou a bola na área para Paulinho bater, mas Orión defendeu. O Corinthians apostava na pressão para tentar reverter o resultado, mas o Boca marcava forte e se posicionava para frear os avanços corintianos.

Alexandre Pato, aos 30, quase marcou o gol da virada corintiana, ao chegar para complementar bola cruzada na área, com Orión já batido, mas acabou se atrapalhando na hora do chute. A pressão do Corinthians era intensa, ficando com a posse de bola e tentando chegar ao ataque, mas não conseguiu evitar a derrota.

O Boca Juniors enfrentará o Newell's Old Boys (ARG) nas quartas de final.

Ficha Técnica

Corinthians 1 x 1 Boca Juniors (ARG)

Local: Pacaembu, São Paulo (SP);

Árbitro: Carlos Amarilla (PAR);

Assistentes: Rodney Aquino e Carlos Cáceres (ambos do PAR);

Corinthians: Cássio; Alessandro (Edenílson), Gil, Paulo André e Fabio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo (Douglas); Emerson, Romarinho (Alexandre Pato) e Guerrero.

Técnico: Tite.

Boca Juniors: Orión; Marin, Caruzzo, Burdisso e Clemente Rodriguez; Erbes (Bravo), Somoza, Erviti, Sanchez Miño e Riquelme (Viatri); Blandi (Zárate).

Técnico: Carlos Bianchi.

Gol: Riquelme (BOC) aos 24 do primeiro tempo, Paulinho (COR) aos 6 do segundo tempo.

CA: Marín, Blandi e Orión (BOC); Paulinho, Alessandro e Emerson (COR).

Add a comment

No Pacaembu, Palmeiras perde para o Tijuana (MEX) por 2 a 1 e está fora da Libertadores

palmeiras-futebol-clubePalmeiras e Tijuana (MEX) se enfrentaram nesta terça-feira (14) pela partida de volta das oitavas de final da Taça Libertadores da América. O time mexicano conseguiu a vitória pelo placar de 2 a 1 e conseguiu a classificação para a próxima fase.

O Palmeiras iniciou a partida tocando a bola e tentando segurar a pressão do time mexicano, que buscava controlar o jogo e se lançar ao contra-ataque. Aos dez minutos, Vinícius tirou Gandolfi da jogada na esquerda, invadiu a área, mas na hora do passe, ninguém do Palmeiras chegou para a finalização.

Henrique cabeceou bola vinda de cobrança de falta e Saucedo fez a defesa. Aos 24 minutos, Ayrton bateu falta e acertou o travessão. O Tijuana foi ao ataque e abriu o placar aos 26 minutos, com Riascos, que bateu e Bruno chegou a tocar na bola, mas ela acabou entrando no gol.

Tiago Real fez o cruzamento para Wesley, mas ele chutou em cima da zaga. O Palmeiras buscava reagir ainda no segundo tempo, ficando com a posse de bola. Ayrton bateu falta aos 50 minutos e Saucedo pulou para evitar o gol.

O Palmeiras foi para o segundo tempo buscando o ataque, mas foi o Tijuana a marcar o segundo gol, com Arce, aos cinco minutos, batendo da entrada da área.

A resposta do Palmeiras veio aos nove minutos, no cruzamento de Maikon Leite pela direita, que Souza cabeceou para fora. Depois, foi a vez de Henrique aproveitar erro de passe na área feito por Aguilar e bater pela linha de fundo.

Aos 15 minutos, o Palmeiras teve pênalti marcado a seu favor quando Aguilar tocou com a mão na bola na área. Souza foi para a cobrança e diminuiu o placar.

O gol fez o Palmeiras intensificar a pressão em cima do Tijuana e Marcelo Oliveira, aos 24 minutos, mas Saucedo conseguiu ficar com a bola. O time alviverde seguia no ataque, criando chances e deixando pouco espaço para a iniciativa da equipe mexicana.

Riascos teve a chance de fazer o terceiro do Tijuana em contra-ataque, tirando Bruno da jogada, mas Maurício Ramos tirou em cima da linha. Aos 39 minutos, Aguilar acertou Kleber na entrada da área e acabou levando o cartão vermelho, deixando o Tijuana com um jogador a menos. Em cobrança de falta, Souza botou a bola por cima do gol.

No restante do jogo, o Palmeiras continuou atacando, mas não conseguiu reverter o resultado.

O Tijuana enfrentará o Atlético-MG pelas quartas de final da competição.

Ficha Técnica

Palmeiras 1 x 2 Tijuana (MEX)

Local: Pacaembu, São Paulo (SP);

Árbitro: Juan Soto (VEN);
Assistentes: Jorge Urrego e Carlos Lopez (ambos da VEN);

Palmeiras: Bruno; Ayrton, Henrique, Maurício Ramos e Marcelo Oliveira (Juninho); Márcio Araújo, Charles (Maikon Leite), Wesley (Souza) e Tiago Real; Vinícius e Kleber.
Técnico: Gilson Kleina.

Tijuana: Saucedo; Nuñez, Gandolfi (Ortiz), Aguilar e Castillo; Pellerano, Arce, Corona (Madueña) e Martinez (Tahulian); Riascos e Ruiz.
Técnico: Antonio Mohamed.

Gols: Riascos (TIJ) aos 26 do primeiro tempo, Arce (TIJ) aos 5, Souza (PAL) aos 17 do segundo tempo

CA: Tiago Real, Vinícius, Kleber, Henrique e Charles (PAL); Ruiz, Castillo, Arce, Nuñez, Riascos e Aguilar (TIJ)

CV: Aguilar (TIJ)

Add a comment

Corinthians perde para o Boca Juniors (ARG) no jogo de ida das oitavas de final

corinthians-futebol-clubNa reedição da final da última Taça Libertadores da América, o Corinthians foi ao La Bombonera enfrentar o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira (1), pelas oitavas de final da edição 2013 da competição e a equipe argentina venceu pelo placar de 1 a 0.

O Corinthians precisa vencer por dois gols de diferença no jogo de volta, no Pacaembu, para se classificar. O empate leva o Boca para as quartas de final. Se o Corinthians vencer por 1 a 0, a partida irá para os pênaltis.

Sánchez Miño chegou com perigo no começo da partida, mas a defesa corintiana fez o corte. Aos nove minutos, Erviti arriscou o chute e a bola foi por cima do gol de Cássio. O Corinthians respondeu na tentativa de Emerson, que também passou com perigo por cima da trave argentina.

A partida seguia equilibrada, com os dois times buscando a posse de bola e marcando forte. Aos 33, após troca de passes, Blandi arriscou e Cássio evitou o gol do Boca. Romarinho, aos 39, bateu falta e a bola foi desviada pela defesa do Boca pela linha de fundo. Blandi tentou de cabeça aos 41, novamente sem sucesso.

No começo do segundo tempo, Sánchez Miño chegou para o chute, mas sem direção. Romarinho, na sequência, chegou para tentar a finalização e a bola ficou nas mãos de Orión. O Boca tocava a bola e ia ao ataque enquanto o Corinthians marcava forte para fechar os espaços em campo.

O Boca seguiu atacando e abriu o placar aos 14 minutos, quando após corte da defesa, a bola foi cruzada na área e Blandi apareceu para fazer o primeiro gol da partida.

Romarinho bateu cruzado e Orión chegou para fazer a defesa. O Boca seguia na pressão e Martínez aproveitou passe errado de Paulo André para ficar com a bola e tentar o lançamento na área, mas Gil tirou o perigo. Aos 24, Guerrero chutou da entrada da área e acertou a trave, com Paulinho mandando o rebote longe do gol.

Em cobrança de falta, Blandi arriscou o chute e a bola passou perto do gol corintiano. Aos 39 minutos, o Boca ficou com um jogador a menos quando Ledesma acabou expulso após cometer falta em jogador corintiano. Paulinho bateu falta, a bola chocou-se na barreira e saiu pela linha de fundo. O Corinthians seguiu pressionando nos minutos finais, sem conseguir vencer a marcação da defesa do time argentino.

Jogo de volta entre Corinthians e Boca Juniors pelas oitavas de final da Taça Libertadores da América 2013:

Corinthians x Boca Juniors (ARG) - 15/mai - 22h00 - Estádio do Pacaembu.

Ficha técnica

Boca Juniors (ARG) 1 x 0 Corinthians

Local: La Bombonera, Buenos Aires (ARG);

Árbitro: Enrique Osses (CHI);
Assistentes: Carlos Astroza e Sergio Roman (ambos do CHI);

Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf (Douglas), Paulinho e Danilo (Jorge Henrique); Emerson, Romarinho (Alexandre Pato) e Guerrero.
Técnico: Tite.

Boca Juniors: Orión; Marín, Caruzzo, Burdisso e Clemente Rodríguez; Erbes (Bravo), Somoza, Erviti (Ledesma) e Sánchez Miño; Blandi (Magallán) e Martinez.
Técnico: Carlos Bianchi.

Gol: Blandi (BOC) aos 14 do segundo tempo.

CA: Somoza, Erbes, Burdisso, Erviti, Ledesma, Bravo e Marín (BOC); Guerrero, Paulo André e Emerson (COR).

CV: Ledesma (BOC).

 

 

 

Add a comment

Palmeiras arranca empate por 0 a 0 frente ao Tijuana no México

palmeiras-futebol-clubeO Palmeiras iniciou sua caminhada nas oitavas de final da Taça Libertadores da América ao enfrentar o Tijuana (MEX) nesta terça-feira (30) e, em jogo de muitas oportunidades, a partida terminou com empate sem gols.

Na partida de volta, em São Paulo, Palmeiras e Tijuana têm de vencer para se classificar, com o empate com gols beneficiando os mexicanos. Um novo 0 a 0 leva a partida para os pênaltis.

Wesley arriscou a primeira chance da partida, aproveitando erro da defesa do Tijuana e mandou a bola por cima do gol. O Palmeiras iniciava o jogo em cima do time da casa e marcando a saída de bola. O Tijuana arriscou com Arce, mas sem sucesso. Wesley, aos dez minutos, tentou cruzar na área, com o corte da defesa.

Pellerano pegou sobra de cobrança de falta e arriscou para boa defesa de Bruno. Depois, Riascos subiu para o cabeceio e a bola passou perto do gol. Aos 15, Tiago Real foi lançado, invadiu a área e foi para o chute cruzado, com a bola passando na frente da meta de Saucedo. O Palmeiras seguia pressionando e tentando fechar os espaços para as investidas dos mexicanos.

Em contra-ataque do Tijuana, a bola sobrou para Martínez arriscar o chute e mandar para fora. O time da casa já conseguia criar mais oportunidades de gol e buscava pressionar o Palmeiras. Aos 35 minutos, Arce bateu falta e Bruno foi para a defesa. Dois minutos depois, Moreno bateu cruzado e acertou o lado de fora da rede. Aos 43, Moreno teve a grande chance de abrir o placar, em jogada de contra-ataque, porém mandou a bola longe da meta de Bruno.

No começo do segundo tempo, Kleber foi para o arremate e por pouco não fez o gol palmeirense. Depois, Vinícius dominou e arrematou em cima da zaga. O Palmeiras ia ao ataque e o Tijuana tentava responder na mesma moeda.

Em troca de passes dos donos da casa, Ruiz bateu de primeira e Bruno pulou para evitar o gol. Aos 22, Riascos dominou na entrada da área e bateu forte para nova defesa do goleiro palmeirense. O Palmeiras respondeu em arrancada pela esquerda de Vinícius, mas Saucedo fez boa defesa.

O Tijuana buscava o ataque e pressionava o Palmeiras, que respondia no contra-ataque. Aos 39 minutos, o time mexicano quase chegou em jogada na pequena área, mas a finalização não surtiu efeito. Arce, aos 44, bateu escanteio fechado e Bruno saiu para fazer a defesa. Nos minutos finais, pressão do Tijuana atrás do gol, mas o Palmeiras se segurou e garantiu o empate.

Jogo de volta entre Tijuana e Palmeiras pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América 2013:

Palmeiras x Tijuana (MEX) - 14/mai - 22h00 - Estádio do Pacaembu.

Ficha Técnica

Tijuana (MEX) 0 x 0 Palmeiras

Local: Caliente, Tijuana (MEX);

Árbitro: Martin Vazquez (URU);
Assistentes: Mauricio Espinosa e Marcelos Costa (URU);

Palmeiras: Bruno; Ayrton, Henrique, Maurício Ramos e Marcelo Oliveira; Charles (André Luiz), Márcio Araújo, Tiago Real e Wesley (Souza); Vinícius (Ronny) e Kleber.
Técnico: Gilson Kleina.

Tijuana: Saucedo, Nuñez, Gandolfi (Madueña), Aguilar e Castillo; Pellerano, Arce e Corona; Martínez (Márquez), Riascos e Moreno (Ruiz).
Técnico: Antonio Mohamad.

CA: Aguilar, Gandolfi e Perellano (TIJ); Marcelo Oliveira e Charles (PAL).

 

 

 

Add a comment

Com dois gols de Neymar, Brasil goleia Bolívia por 4 a 0

Em amistoso realizado neste sábado (6), o Brasil enfrentou a Bolivia, em mais uma etapa da preparação visando a Copa das Confederações e venceu de goleada, pelo placar de 4 a 0, em Santa Cruz de La Sierra (BOL).

O amistoso foi realizado em forma de homenagem a Kevin Espada, torcedor boliviano morto por um sinalizador atirado durante a partida entre San José (BOL) e Corinthians, pela Taça Libertadores da América.

Logo no começo da partida, Leandro Damião abriu o placar para a Seleção Brasileira, ao desviar bola cruzada por Jean para o fundo das redes de Galarza.

O Brasil impunha pressão nos primeiros minutos e se colocava marcando a saída de bola dos bolivianos. Neymar, aos 11, foi para o chute e acertou a trave. Depois, em cobrança de tiro livre indireto, Neymar e André Santos deixaram para Ronaldinho Gaúcho chutar por cima do gol. A primeira chance da Bolívia veio com Meleán, aos 17, mandando à direita do gol de Jefferson.

O Brasil fez o segundo aos 30, com Neymar, que tabelou com Ronaldinho Gaúcho e bateu encobrindo o goleiro para aumentar a vantagem brasileira em Santa Cruz de La Sierra.

A pressão brasileira se intensificou e Neymar anotou o terceiro aos 42, aproveitando lançamento de Jadson para dominar e bater para o fundo das redes bolivianas.

O segundo tempo começou com mudanças na duas equipes e o Brasil tentando se impor em campo. Marcelo Moreno, aos dez minutos, foi para o arremate e Jefferson fez a defesa. A Bolívia buscava atacar, mas não conseguia furar a defesa brasileira.

Marcelo Moreno foi para o cabeceio após cruzamento de Arce e mandou por cima da meta brasileira. Os bolivianos passavam a investir mais no ataque, enquanto os brasileiros tentavam controlar a situação do jogo. Leandro, aos 32, tentou o chute e acertou Galarza, mas Paulinho desperdiçou o rebote.

Nos acréscimos, Leandro fez o quarto do Brasil, após receber de Osvaldo e bater sem chances de defesa para o goleiro da Bolívia.

Ficha Técnica

Bolívia 0 x 4 Brasil

Local: Ramon "Tauhichi" Aguilera, Santa Cruz de la Sierra (BOL)

Árbitro: Patricio Loustau (ARG)

Bolívia: Galarza; Diego Bejarano (Jimenez), Eguino, Zenteno e Marvin Bejarano; Meleán (García), Veizaga (Chumacero), Arce (Vargas) e Rojas; Marcelo Moreno e Campos (Danny Bejarano)

Técnico: Xabier Azkargorta

Brasil: Jefferson; Jean, Réver, Dedé (Dória) e André Santos; Ralf, Paulinho, Jadson e Ronaldinho Gaúcho (Leandro); Neymar (Osvaldo) e Leandro Damião (Alexandre Pato)

Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols: Leandro Damião (BRA) aos 3 Neymar (BRA) aos 30, 42 do primeiro tempo e Leandro (BRA) aos 47 do segundo tempo.

CA: Galarza e Eguino (BOL).

Add a comment

Brasil e Itália ficam no empate em amistoso

brasilxitaliaO Brasil enfrentou um de seus mais tradicionais rivais, a Itália, nesta quinta-feira (21), em amistoso na cidade de Genebra (SUI), saiu na frente, mas tomou o empate em três minutos, em jogo que terminou com o resultado de 2 a 2.

A primeira chance da partida foi brasileira, com Neymar, que bateu para a defesa de Buffon. Os italianos responderam com Balotelli, que foi para o chute, mas Júlio César defendeu com o pé.

Os primeiros minutos de partida mostravam equilíbrio e muitas oportunidades de gol. Maggio, aos 20, foi para o chute e exigiu a intervenção do goleiro brasileiro. A Itália insistia tentando achar espaços no campo ofensivo e o Brasil tocava a bola para criar suas jogadas.

Aos 32 minutos, Fred abriu o placar para o Brasil, aproveitando desvio de Bonucci em cruzamento de Filipe Luís.

A Itália seguiu no ataque e teve duas chances de empatar, ambas sem sucesso. Os brasileiros fizeram o segundo com Oscar, aos 41, após jogada envolvendo Neymar.

No segundo tempo, Balotelli subiu de cabeça, mas não conseguiu pegar bem na bola. Depois, El Shaarawy chegou com perigo após erro da defesa brasileira e Júlio César conseguiu a defesa.

No lance seguinte, De Rossi diminuiu para os italianos, ao desviar de primeira uma cobrança de escanteio da esquerda e mandar sem chances de defesa para o goleiro brasileiro.

Neymar bateu falta e Buffon subiu para ficar com a bola. Depois, Balotelli, aproveitando outro erro da defesa brasileira, dominou e bateu de longe para colocar no ângulo de Júlio César.

Hulk recebeu de Neymar, invadiu a área e teve a chance de bater para o gol, mas acabou perdendo a bola na hora de tentar o domínio. A resposta italiana veio com Balotelli, que recebeu na pequena área e bateu para a defesa de Júlio César.

Os italianos cresciam na partida e o Brasil tentava achar espaços para construir suas jogadas. Cerci teve a chance de marcar o gol da virada, mas a bola foi por cima do gol. O Brasil buscou o gol da vitória nos minutos finais, mas não conseguiu pressionar com precisão a Itália.

Na próxima segunda-feira (25), o Brasil terá mais um compromisso amistoso, em Londres (ING), diante da Rússia.

Ficha Técnica

Itália 2 x 2 Brasil

Local: Estádio de Genebra (Stade de Genéve), Genebra (SUI);

Árbitro: Stephan Studer (SUI)

Brasil: Júlio Cesar, Daniel Alves, Dante, David Luiz e Filipe Luís (Marcelo); Fernando, Hernanes (Luiz Gustavo) e Oscar (Kaká); Hulk (Jean), Fred (Diego Costa) e Neymar
Técnico: Luis Felipe Scolari

Itália: Buffon; Maggio, Barzagli, Bonucci e De Sciglio (Antonelli); De Rossi (Diamanti), Pirlo (Cerci), Giarecchino (Poli) e Montolivo; Balotelli (Gilardino) e Osvaldo (El Shaarawy)
Técnico: Cesare Prandelli

Gols: Fred (BRA) aos 32 e Oscar (BRA) aos 41 do primeiro tempo, De Rossi (ITA) aos 8, Balotelli (ITA) aos 11 do segundo tempo

CA: Fred, Filipe Luís e Hernanes (BRA); Poli e Maggio (ITA)

Add a comment

No Pacaembu, São Paulo fica no empate com o Arsenal-ARG

São Paulo FCSão Paulo e Arsenal de Sarandí (ARG) se enfrentaram nesta quinta-feira (7) no Pacaembu, em jogo pelo Grupo 03 da Taça Libertadores da América e a partida terminou empatada por 1 a 1.

Com quatro pontos, o São Paulo pode terminar a rodada na vice-liderança da chave. O Arsenal soma seu primeiro ponto na competição.

A primeira chance clara de gol foi do São Paulo, com Douglas, aos sete minutos, defendida por Campestrini. As duas equipes tentavam chegar ao ataque e colocar a bola na área adversária. Aos 18, Rogério Ceni bateu falta e a bola ficou com o goleiro da equipe argentina.

Luís Fabiano tentou o toque de cabeça, mas a bola passou longe do gol. Aos 24, Aloísio recebeu na área e mandou de primeira, acertando a trave de Campestrini. O São Paulo era quem pressionava mais e detinha a posse de bola. Aos 32, Jadson bateu cruzado e a bola passou perto da trave. Osvaldo arriscou de longe aos 39 e a bola acertou novamente a trave do Arsenal. Furch, aos 43, dominou na área e tentou chutar, mas a bola foi longe da meta de Rogério Ceni.

Aos 47, o São Paulo abriu o placar. Em jogada de velocidade, Jadson recebeu, invadiu a área e bateu forte para o fundo das redes de Campestrini.

No começo do segundo tempo, Aloísio chegou para o chute, mas o goleiro do Arsenal evitou o segundo do São Paulo. No lance seguinte, a arbitragem marcou pênalti quando a bola bateu no braço de Cortez. Benedetto foi para a cobrança e empatou a partida.

O São Paulo tentou responder com Luís Fabiano, mas acabou travado pela defesa do Arsenal. A equipe da casa tentava pressionar e dar trabalho para a defesa do time argentino, que respondia com boa marcação e no toque de bola. Aos 15, o Arsenal teve duas chances finalizar, porém sem sucesso.

Aos 23, Ganso deixou para Jadson chegar e bater encobrindo Campestrini, mas a bola tocou no goleiro e foi por cima do travessão. Depois, Jadson arriscou novamente e a bola foi na trave. A pressão são-paulina crescia e o time buscava o segundo gol, colocando o Arsenal em seu campo defensivo.

Ganso, aos 33, bateu de fora da área e Campestrini defendeu, com Luís Fabiano não conseguindo aproveitar o rebote. Aos 41, Rogério Ceni foi para a cobrança de falta e mandou nas mãos do goleiro do Arsenal. A pressão do São Paulo aumentou nos minutos finais e Osvaldo tentou bater cruzado aos 46, com Campestrini fazendo a defesa em dois tempos.

No dia 14, as duas equipes voltam a se enfrentar, com a partida a ser realizada na Argentina.

Ficha técnica

São Paulo 1 x 1 Arsenal de Sarandí (ARG)

Local: Pacaembu, São Paulo (BRA);

Árbitro: Wilmar Roldan (COL);
Assistentes: Humberto Clavijo e Eduardo Diaz (ambos da COL);

São Paulo: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Cortez; Wellington (Cañete), Fabrício (Paulo Henrique) e Jadson; Aloísio (Maicon), Luis Fabiano e Osvaldo.
Técnico: Ney Franco.

Arsenal: Cristian Campestrini; Danilo Gerlo, Victor Cuesta, Diego Braghieri e Damián Pérez (Ortiz); Lisandro López e Iván Marcone; Martín Rolle (Diego Torres) e Carlos Cabonero; Julio Furch e Luquercio (Darío Benedetto). Técnico: Gustavo Alfaro.

Gols: São Paulo: Jadson, 47’ 1T. Arsenal: Benedetto, pênalti, 03’ 2T.

CA: São Paulo: Fabrício, Osvaldo, Rafael Tolói, Luís Fabiano e Wellington. Arsenal: Perez, Benedetto, Rolle, Carbonero, e Campestrini.

Add a comment

Corinthians perde fora de casa para o Tijuana

Corinthians e Tijuana pela Libertadores 2013O Corinthians visitou o Tijuana (MEX) nesta quarta-feira (6) visando a liderança do Grupo 05 da Taça Libertadores da América, mas a equipe mexicana acabou vencendo pelo placar de 1 a 0.

O Tijuana vai a nove pontos e segue com 100% de aproveitamento dentro da chave. O Corinthians, com quatro, fica na vice-liderança.

O Tijuana começou a partida em cobrança de falta de Arce, mas a bola foi longe do gol. O Corinthians tentou jogada em velocidade de Alexandre Pato e Renato Augusto, mas a defesa da equipe mexicana conseguiu o corte. Os dois times tentavam chegar com perigo e abrir espaços para as jogadas de gol.

Martínez, aos 19, recebeu de Riascos, mas Alessandro chegou antes para travar a finalização. Aos 23, novamente Riascos bateu por cima do gol de Cássio. O Corinthians respondeu com Alexandre Pato, que arriscou de longe, sem conseguir ameaçar a meta mexicana. Renato Augusto, aos 42, bateu falta para boa defesa do goleiro.


O Tijuana começou o segundo tempo partindo para a pressão e tentando exercer forte marcação sobre o Corinthians. Paulinho, aos nove, tentou o chute e a bola passou perto do gol de Saucedo. Guerrero também teve sua chance, forçando o goleiro do time mexicano a fazer a defesa.

O Tijuana respondeu na tentativa de Pellerano, que Cássio conseguiu defender. Aos 19, após cruzamento, a bola sobrou para Gandolfi tocar e abrir o placar da partida.

O Corinthians tentou reagir em chute de longe de Paulinho que Saucedo soltou e Renato Augusto não conseguiu chegar para a finalização.

Martínez, aos 34, recebeu a bola na entrada da área e foi travado na hora do chute. O Corinthians tentava pressionar, mas não conseguia passar pela marcação da equipe mexicana, que tentava chegar ao segundo gol nos minutos finais.

Os dois times voltam a se enfrentar no dia 13, com a partida a ser realizada no Pacaembu.

Ficha Técnica

Tijuana (MEX) 1 x 0 Corinthians

Local: Caliente, Tijuana (MEX)

Árbitro: Victor H. Carrillo (PER);
Assistentes: Jonny Bossio e Cesar Escano (ambos do PER);

Corinthians: Cássio; Alessandro (Edenílson), Gil, Paulo André (Romarinho) e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Renato Augusto (Douglas); Alexandre Pato e Guerrero.
Técnico: Tite.

Tijuana: Saucedo; Abrego, Aguilar, Gandolfi e Nuñez; Arce, Corona, Pellerano e Martínez (Garza); Moreno (Ruiz) e Riascos (Enriquez).
Técnico: Antonio Mohamed.

Gol: Tijuana-MEX: Gandolfi, 19’ 2T.

CA: Paulinho, Guerrero e Fábio Santos (COR); Aguilar, Gandolfi e Moreno (TIJ).

 

Add a comment

Com gol no último lance, Palmeiras perde para o Tigre (ARG) por 1 a 0

Valdivia PalmeirasBuscando a reabilitação no Grupo 02 da Taça Libertadores da América, o Palmeiras visitou o Tigre (ARG) nesta quarta-feira (6) e no último lance da partida, a equipe argentina garantiu a vitória pelo placar de 1 a 0.

O Palmeiras segue com três pontos, mesma pontuação do Tigre na classificação da chave.

Rusculleda tentou bater cruzado após erro da defesa palmeirense, mas a bola passou em frente do gol. O Tigre tentava usar a bola parada para criar situações de gol e pressionar o Palmeiras. Weldinho, aos nove, cruzou a bola na área e ela ficou com Cousillas.

Aos 24, o Palmeiras chegou pela esquerda, mas na hora do cruzamento, a bola passou por Kleber. O Tigre respondeu no chute de Pérez Garcia, defendido por Fernando Prass. Aos 30, o goleiro palmeirense teve de trabalhar novamente para evitar a finalização de Echeverría. O Palmeiras crescia na partida e conseguia chegar com mais força à área adversária

O Tigre pressionava, com a bola parada sendo a principal arma dos donos da casa. Aos 41, Wesley bateu falta e Cousillas conseguiu tirar a bola da área. Depois, Kleber foi lançado na área e tentou cruzar na pequena área, com a defesa fazendo o desvio.

Kleber, no começo do segundo tempo, teve a chance de marcar, mas ele acabou não conseguindo pegar bem na bola. Depois, Vílson arriscou de fora da área, sem sucesso. O Palmeiras começava a etapa final no ataque e o Tigre apostava no contra-golpe.


Patrick Vieira recebeu de Valdívia, puxou para a entrada da área e bateu para a defesa de Cousillas. No escanteio seguinte, Valdívia subiu para o cabeceio e colocou por cima do gol. Aos 37, em boa jogada pela direita, a bola sobrou para o camisa 10 palmeirense chegar e chutar em cima de Peñalba. Valdívia, no minuto seguinte, arriscou novamente, sem sucesso.

Charles arriscou de fora da área e mandou perto do gol de Cousillas. No minuto seguinte, Vilson acabou expulso, deixando o Palmeiras com um jogador a menos em campo. Nos acréscimos, Kleber teve a chance de marcar o gol, mas acabou perdendo a melhor chance do jogo.

Aos 49, o Tigre fez o gol da vitória. Após cobrança de falta, a bola ficou na área e Peñalba colocou a bola no fundo das redes.

No dia 2/4, os dois times voltam a se enfrentar, pela abertura do returno, com o jogo a ser realizado no Pacaembu.

Ficha Técnica

Tigre (ARG) 1 x 0 Palmeiras

Local: estádio José Dellagiovanna (Monumental Victoria), Buenos Aires (ARG);

Árbitro: Omar Ponce (EQU);
Assistentes: Luis Alvarado e Carlos Herrera (ambos do EQU);

Palmeiras: Fernando Prass; Weldinho, Maurício Ramos, Henrique e Marcelo Oliveira; Vilson, Márcio Araújo, Wesley (Patrick Vieira) e Valdivia; Vinícius (Maikon Leite (Charles)) e Kleber.

Técnico: Gilson Kleina.

Tigre: Cousillas; Ferreyra, Echeverría, Paparatto e Orban; Peñalba, Galmerini, Rusculleda (Torassa) e Pérez García (Leguizamón); Botta e Santander (Janson)
Técnico: Nestor Gorosito.

Gol: Peñalba (TIG) aos 49 do segundo tempo.

CA: Kleber e Vílson (PAL); Galmarini e Leguizamón (TIG).

CV: Vilson (PAL).

 

Add a comment

Assine Nossa Newsletter

Seu Email:

Seu Nome:


Quem Curti o ParnaíbaWEB

Login

copyright © 2007 - 2013 - www.parnaibaweb.com.br